Você está aqui
Home > Especial > Criação do Parque Municipal da Cachoeira dos Pretos: audiência pública do Projeto de Lei movimenta a cidade

Criação do Parque Municipal da Cachoeira dos Pretos: audiência pública do Projeto de Lei movimenta a cidade

 

foto 01 - pág EDfoto 02 - pág EDfoto 03 - pág ED

 

 

 

 

Além do grande público que acompanhou a audiência pública, muitas pessoas, inclusive jovens, se manifestaram na Tribuna no seu papel enquanto cidadãos, empresários, estudantes, profissionais liberais, porta-vozes de moradores, etc. – todos imbuídos de defender direitos e investimentos feitos naquele local pela iniciativa privada em prol do turismo. Também os vereadores, com exceção do vereador Daniel Augusto de Aguiar Costa (Daxuxa), seguiram a mesma linha dos munícipes.

 

Embora ainda sejam necessários avaliação e parecer da Comissão Permanente de Mérito no Legislativo ou medidas do Executivo relativo ao projeto, muitos da população se mantêm em pleno movimento de ‘bastidores’ contrário a que se faça qualquer coisa na Cachoeira.

Em pesquisa informal junto à população, o jornal TRIBUNA comprovou que oito em cada 10 joanopolenses são contra quaisquer alterações e/ou mudanças na Cachoeira dos Pretos previstas a acontecer através do projeto de Lei de nº 04 de janeiro/2015. Após uma audiência pública de mais de duas horas e que levou à Câmara mais de 100 pessoas, fatos inéditos em Joanópolis de ambos os atos de cidadania, o projeto de Lei retorna à Comissão Permanente de Mérito que deu parecer por inquirir a realização daquela audiência visando assegurar voz aos munícipes, principalmente aos empresários empreendedores que propagaram investimentos na Cachoeira em vários dos setores turísticos (restaurantes, lanchonetes, estacionamento, entre outros) e que agora se sentem inseguros pelas ações do poder público relativo a criar ferramentas que regulamentam o chamado “Parque Municipal da Cachoeira” e este promova inúmeras mudanças no local. Decreto do executivo ainda em 2014 tornou de domínio público as ilhas, o pátio e o acesso à Cachoeira, e ainda naquele ano o projeto do Parque foi cadastrado nas verbas do DADE e enviado em janeiro de 2015 à Câmara Municipal.

Através das redes sociais e de e-mails, o executivo local também desenvolveu e promoveu a participação de munícipes quanto a dúvidas sobre a implantação do Parque e mais de 30 perguntas de interesse com respectivas respostas, num momento importante também para a Câmara Municipal que proporcionou, através da audiência pública, a discussão e as divergentes e acaloradas opiniões sobre o assunto.

Apesar de tudo isto, não ocorreu nenhuma decisão oriunda da audiência pública, cidadãos foram novamente convidados a enviar perguntas e duvidas à secretaria administrativa da Câmara, para posterior resposta pelo sr. Ronaldo Leme o que o presidente da Comissão vereador Primo Giovani Poli Del Vechio comunicou a disponibilidade e divulgação através do site da Câmara.

Enquanto a maioria da população consultada é contrária às alterações na Cachoeira, pois segundo afirmação de vários cidadãos “aquilo é um de nossos bens que ainda funciona, e direito (…)”, outros, como ficou demonstrado na audiência pública se mostram indignados com as necessidades básicas do município que precisam ser atendidas, o que para estas pessoas o executivo está deixando a desejar, o que foi explicado por Ronaldo Leme como funcionam as verbas “carimbadas” que somente podem ser gastas naquela finalidade. A audiência pública mostrou ainda, através das várias manifestações e perguntas fortes opiniões sobre a criação do “Parque Municipal da Cachoeira”; não tem argumento coerente – nem financeiro nem turístico – para o município no presente momento e está desalinhado; sem um planejamento financeiro e turístico consistentes; e sem embasamento algum num plano diretor de turismo, conforme foi sugerido o seu desenvolvimento com urgência, pela diretora regional de turismo do Estado, srta. Waldirene Ricanello, presente na audiência.

Com tantos cidadãos contrários a que se “mexa” na Cachoeira dos Pretos, o executivo encampa o projeto de Lei da criação do Parque e segundo o chefe de gabinete Ronaldo Leme que lá representou, além do prefeito, órgãos como o COMTUR, tudo será estudado e o projeto que “já esperou tanto e contou com tantas discussões desde o mês de fevereiro, pode esperar mais um pouco”.

Para finalizar, foi protocolado na Câmara Municipal no último dia 06/11 o oficio de Gabinete nº 975/2015 que explicitou a análise e as conclusões da secretaria de Governo que citou ser aquele um “documento forte e incisivo que apela à consciência dos Edis, para que não deixem passar a oportunidade de regularizar, regulamentar, e acima de tudo preservar nosso maior ponto turístico”. O oficio aborda, além da audiência pública, inúmeras perguntas as quais enviadas à secretaria da Câmara foram devidamente respondidas. O oficio também foi encaminhado aos integrantes do COMTUR através de email e disponibilizado seu resumo nas redes sociais.

A Comissão Permanente de Mérito – composta pelos vereadores Sebastião Carlos do Nascimento, Gilmar Benedito Gonçalves e Primo Giovani Poli Del Vecchio – segundo informou o presidente vereador Primo Giovani, irá avaliar e emitir seu parecer às próximas ações que poderão ou não ser tomadas relativo ao projeto de Lei ao qual o executivo trata da criação do “Parque Municipal da Cachoeira dos Pretos” sendo que o Projeto deverá estar na pauta de sessões da Câmara em aproximadamente 15 dias.

Tribuna Portal
Tribuna Portal é uma mídia da KGS Comunicação&Marketing, que inclui o Tribuna da Cidade e a Tribuna Revista. Estância Turística de Joanópolis, SP, Brasil
http://tribunaportal.com

Deixe uma resposta

Top